Agora são Horas e Minutos - ... Obrigada: Estou completamente satisfeita com todos os amigos por me terem acompanhado no blogue. TATÃO ´ aconselhamos a utilização do Mozilla Firefox

PAULA RUIVO

. A APRESENTAÇÃO DO LIVRO A ERVILHA QUE QUERIA IR DE FERIAS FOI UM SUCESSO AUTORA PAULA RUIVO

sexta-feira, 26 de junho de 2009

REFLEXÃO:


REFLEXÃO:

Em teoria, a forma como educámos os miúdos deve-se basear em valores que perfilhámos e sobre os quais tivemos oportunidade de reflexão. De todos os valores disponíveis,temos de escolher quais os que considerámos essenciais, quais os que queremos passar, e como vamos fazê-lo. A questão prática não é de somenos. O processo de socialização com aprendizagens por imitação, o que implica um comprometimento importante de atitudes por parte dos adultos.Não chega dizer que não se mente, tem de se dar o exemplo não mentindo.Não chega a dizer sim ou não, a cada momento tem de se ir explicando, de forma consistente,quer por gestos, quer por palavras, as razões porque os "sim"e os "não"acontecem.

Este comprometimento,esta atenção aos próprios gestos, falha demasiadas vezes, dando quase para pensar que, muitas vezes, se educa ao sabor de modas que não ancoram em valores pessoais, mas, apenas, em fenómenos de repercussão mediática ou imitação de pares, sobre os quais não se reflectiu nem se fez o devido trabalho de casa.

Quando os miúdos são pequenos e nos vêem contar as maldades de que foram vítimas por parte dos outros meninos,podemos despachá-los dizendo que não queremos queixinhas e que são assuntos entre eles com os quais não temos que ver, ou podemos acolher e apoiar de diversas formas e maneiras.Depende do que possa acontecer.
Quaisquer destas atitudes não são inócuas e, repetida uma e outra vez, moldam um pano de fundo vivencial para as próprias crianças.
Umas aprendem que têm de tentar ser autónomas e a resolveras suas próprias questões, outras aprendem que têm de pedir apoio e protecção.

Mesmo que haja excepções justificadas, o que é interiorizado pelas crianças e, depois,pelos adultos em que se vão transformar, é a atitude sistematicamente assumida que os empurra para autonomias ou para protecções.
Se, racionalmente , tendemos a considerar que é melhor promover autonomias, o facto é que não deve por acaso que, enquanto povo, tendemos a ser queixosos e lamurentos e a esperar que alguém tome conta de nós.

Tatão

2 comentários:

  1. TATÃO
    NÃO SEI SE VOU TOCAR EM ALGO QUE TALVEZ NÃO DEVA, MAS TENHO DE DIZER ISTO: TU SERIAS REALMENTE UMA GRANDE MÃE!... DEUS DÁ FILHOS A QUEM MUITAS VEZES NÃO MERECE, E, TU, SERIAS A MÃE PERFEITA!... TANTO NO AMOR, COMO NA EDUCAÇÃO.
    PARABENS PELO TEXTO, PENA É QUE MAIS GENTE NÃO O LEIA.
    UM BEIJO
    ARMENIO CRUZ

    ResponderEliminar
  2. ARMÉNIO:
    Obrigada pela consideração que tens por mim. Compreendo-te.Não tive tempo de ler o teu comentário. A preparação das férias ocuparam-me tempo para dar uma "vista de olhos no blogue" .Agradeço o teu comentário.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.
•.¸¸.•´¯`•.¸¸.¤ Beijos •.¸¸.•´¯`•.¸¸.¤